Nosso guia reunie todas as casas e clinicas para dependentes químicos de drogas e alcool de - , listamos acima algumas das clinicas com diversos tratamentos para depemdentes quimicos em - , em nosso guia de casas de recuperação de -


Projeto Rondon promove cidadania em Rondônia

Alunos mostram-se afiados na estreia do Desafio contra o crack

Paraná vai se integrar a grupo nacional de combate ao crack

Rio: sem tratamento, presos viciados em crack sofrem com crises de abstinência

Sobram vagas para o tratamento de dependentes químicos em hospital do Litoral Norte

Projeto ajuda detentas da Capital a se afastar das drogas e criminalidade

Londrina: Câmara derruba veto e amplia restrições da lei anti-fumo

Audiência pública debate sistema estadual de políticas sobre drogas

Após crise com governo, Pedro Abramovay deixa Secretaria de Políticas Sobre Drogas

PM fiscalizará venda de álcool a adolescente

Senad lança concurso para alertar sobre crack

Chapada terá projeto de prevenção ao uso de drogas

Dependentes de drogas terão vagas em emergência em Bauru e Botucatu

Dependentes terão vagas de emergência

DRS-6 inicia atendimento com cinco internações na próxima semana e encaminha projeto para 65 vagas para 2011 Nélson Gonçalves O Departamento Regional de Saúde (DRS-6) vai disponibilizar cinco vagas para internação de drogaditos em situação de emergência a partir da próxima semana no Hospital Manoel de Abreu. A necessidade de desintoxicação e tratamento de viciados em álcool e dependentes químicos, sobretudo por uso do crack, também levou a unidade regional a encaminhar projeto junto à Secretaria Estadual de Saúde para 65 leitos para Bauru e 35 para Botucatu.

Conforme a diretora da DRS-6, Doroti da Conceição Vieira Alves Ferreira, o programa já estava em análise junto ao Estado. A adequação orçamentária e a necessidade de investir R$ 2,9 milhões para a formação de centro especializado no Hospital Manoel de Abreu exigiu que o projeto fosse encaminhado para o início de 2011. Segundo Conceição, “o esforço será para viabilizar este serviço no primeiro semestre do próximo ano”, conta.

Já o atendimento emergencial, para cinco vagas iniciais, foi negociado com a direção da fundação que gerencia o Manoel de Abreu (Famesp). Falta estabelecer o formato com o município. “Eu acabo de finalizar com a direção da Famesp a abertura de cinco vagas de emergência, de imediato. Vou precisar agora fechar com o secretário Municipal de Saúde, Fernando Monti, que estavas vagas sejam dedicadas a pacientes cuja porta de entrada seja o CAPS-AD e não o Pronto-Socorro. Como é uma situação de urgência, precisamos atacar os casos mais graves e preciso discutir com o Monti esta porta de entrada”, explica.

Ontem à noite, o secretário municipal de Saúde, Fernando Monti, disse que está de acordo. “Estou plenamente de acordo que a regulação seja via CAPS-AD e que o serviço mais referencial da atividade participe da regulação. A maior necessidade é para desintoxicação, com internação. Vamos iniciar um grande avanço no oferecimento de resposta a casos de álcool e drogas na cidade”, comentou.

Doroti disse que o serviço será mesmo na desintoxicação e tratamento via internação. “A atenção básica nesta área está encaminhada através dos municípios. E aqui na DRS-6 nós temos uma equipe matricial de referência que dá orientação aos municípios especificamente nesta área, com psiquiatra, psicóloga, enfermeira, assistente social. É uma referência aplicada por especialização e que padroniza o primeiro atendimento. Agora vamos encaminhar o projeto para o atendimento, a fase de internação e o custo no Manoel de Abreu em instalações e reforma é de R$ 2,9 milhões. Mas neste caso é para internar, desintoxicar, tratar e tentar reinserir na sociedade este paciente”, aborda.

Na mesma área, Botucatu tem projeto aprovado para 35 leitos, ao valor de R$ 1,2 milhão. Como o programa naquela cidade já contava com disponibilização de instalações no Centro de Atendimento Integral à Saúde (CAIS) Cantídio de Moura Campos, a DRS-6 conseguiu antecipar a aprovação orçamentária ainda para este ano. “O projeto de lá está finalizado e estamos encaminhando a adequação na área do então hospital Cantídio de Moura, atual CAIS”, menciona.
Autor: JCNET
OBID Fonte: Jornal da Cidade de Bauru