Nosso guia reunie todas as casas e clinicas para dependentes químicos de drogas e alcool de - , listamos acima algumas das clinicas com diversos tratamentos para depemdentes quimicos em - , em nosso guia de casas de recuperação de -


Relator da Lei Geral da Copa apresenta parecer liberando bebidas alcoólicas em estádios

Caxias inaugura ambulatório 24 horas para viciados em drogas na próxima semana

Folheto que orienta sobre drogas causa polêmica em SP

Propagandas de cigarro podem ser mais rigorosas

Embriaguez ao volante, quando muito perceptível, prescinde de bafômetro

Lei Seca e antifumo enfrentam resistência

CISA e Ipiranga - Drogas

Dependentes químicos serão prioridade da Saúde em 2012

Fórum reúne candidatos para debater combate às drogas

MP cobra do poder público atenção a menores usuários de droga

Fim do fumódromo preocupa donos de bares e agrada especialistas em PE

Curso de capacitação sobre prevenção às drogas começa amanhã

Dependentes de drogas terão vagas em emergência em Bauru e Botucatu

Dependentes terão vagas de emergência

DRS-6 inicia atendimento com cinco internações na próxima semana e encaminha projeto para 65 vagas para 2011 Nélson Gonçalves O Departamento Regional de Saúde (DRS-6) vai disponibilizar cinco vagas para internação de drogaditos em situação de emergência a partir da próxima semana no Hospital Manoel de Abreu. A necessidade de desintoxicação e tratamento de viciados em álcool e dependentes químicos, sobretudo por uso do crack, também levou a unidade regional a encaminhar projeto junto à Secretaria Estadual de Saúde para 65 leitos para Bauru e 35 para Botucatu.

Conforme a diretora da DRS-6, Doroti da Conceição Vieira Alves Ferreira, o programa já estava em análise junto ao Estado. A adequação orçamentária e a necessidade de investir R$ 2,9 milhões para a formação de centro especializado no Hospital Manoel de Abreu exigiu que o projeto fosse encaminhado para o início de 2011. Segundo Conceição, “o esforço será para viabilizar este serviço no primeiro semestre do próximo ano”, conta.

Já o atendimento emergencial, para cinco vagas iniciais, foi negociado com a direção da fundação que gerencia o Manoel de Abreu (Famesp). Falta estabelecer o formato com o município. “Eu acabo de finalizar com a direção da Famesp a abertura de cinco vagas de emergência, de imediato. Vou precisar agora fechar com o secretário Municipal de Saúde, Fernando Monti, que estavas vagas sejam dedicadas a pacientes cuja porta de entrada seja o CAPS-AD e não o Pronto-Socorro. Como é uma situação de urgência, precisamos atacar os casos mais graves e preciso discutir com o Monti esta porta de entrada”, explica.

Ontem à noite, o secretário municipal de Saúde, Fernando Monti, disse que está de acordo. “Estou plenamente de acordo que a regulação seja via CAPS-AD e que o serviço mais referencial da atividade participe da regulação. A maior necessidade é para desintoxicação, com internação. Vamos iniciar um grande avanço no oferecimento de resposta a casos de álcool e drogas na cidade”, comentou.

Doroti disse que o serviço será mesmo na desintoxicação e tratamento via internação. “A atenção básica nesta área está encaminhada através dos municípios. E aqui na DRS-6 nós temos uma equipe matricial de referência que dá orientação aos municípios especificamente nesta área, com psiquiatra, psicóloga, enfermeira, assistente social. É uma referência aplicada por especialização e que padroniza o primeiro atendimento. Agora vamos encaminhar o projeto para o atendimento, a fase de internação e o custo no Manoel de Abreu em instalações e reforma é de R$ 2,9 milhões. Mas neste caso é para internar, desintoxicar, tratar e tentar reinserir na sociedade este paciente”, aborda.

Na mesma área, Botucatu tem projeto aprovado para 35 leitos, ao valor de R$ 1,2 milhão. Como o programa naquela cidade já contava com disponibilização de instalações no Centro de Atendimento Integral à Saúde (CAIS) Cantídio de Moura Campos, a DRS-6 conseguiu antecipar a aprovação orçamentária ainda para este ano. “O projeto de lá está finalizado e estamos encaminhando a adequação na área do então hospital Cantídio de Moura, atual CAIS”, menciona.
Autor: JCNET
OBID Fonte: Jornal da Cidade de Bauru